segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Acabou!!!

Isabella e vovó Maria (mãe do André) a uma semana atrás

Sim, acabou o mama, Isabella não quer mais o peito de jeito nenhum, esse feriado prolongado ela esteve meio gripadinha, não chegou a ficar sério, mas está com uma tossinha chata, espirrando e coçando o nariz. Desde sábado qdo vou oferecer o seio a ela, reluta, chora e é um sacrifício pra pegar, desde então ela não mama mais. Vouaproveitar o ensejo e falar sobre minha experiência com a amamentação.

Sempre tive a certeza de que queria amamentar, meus seios sempre foram pequenos, tenho bico plano, mas li muito a respeito e entendi que isso não seria impecílio para amamentar. Qdo Isabella nasceu ela só veio mamar 4 horas após o parto, até então eu ainda não havia lido sobre a importância da amamentação na primeira hora, mas mesmo assim ela não pegou direito e logo adormeceu, no dia seguinte não foi muito diferente, ela não conseguia abocanhar e sugar direito, o bico era pequeno e ela muito pequena e delicada não tinha força para tanto, conversei com as enfermeiras e elas disseram que era normal e que com minha insistência tudo se ajustaria, ela não chorava de fome, fazia cocô e xixi conforme esperado então entendemos (médicos e eu) que ela estava mamando o suficiente para ela. Nisso (2º dia no hospital), meus seios já estavam rachados, isso pq tinha usado uma pomada na gestação, então no hospital me deram aquela pomada famosa e seguimos para casa, lá as rachaduras só pioraram, mas eu aguentava firme a amamentava a Isabella com o maior amor e satisfação do mundo, as coisas foram piorando ao ponto de eu derramar lágrimas, só em pensar que estava chegando a hora dela mamar tamanha era a dor que sentia, até que um dia Isabella fez cocô com rastros de sangue, eu fiquei desesperada, achando que ela estava doente, mas então percebi que na verdade o sangue era dos meus seios, mas me disseram que não havia problema e que se paresse de amamentar seria pior, que deveria insistir para cicatrizar e enquanto isso eu fazia tudo que me ensinavam para melhorar e continuava usando a pomada. Até que chegou o dia da primeira consulta da Isabella com 15 dias, e para nosso martírio caímos nas mãos de uma pediatra louca, dessas que não estão nem ai para a saúde da criança, que acham que bebê saudável é bebê gordo e não dão o valor devido a amamentação. qdo pesou a Isabella ela não havia ganho peso, estava com o mesmo da alta e então olhou na minha cara com a a maior frieza do mundo e disse que eu estava matando a minha filha de fome, que estava deixando a bebê desnutrida e tal, mesmo sobre as minhas argumentações de que a Isabella dormia super bem, não chorava, era tranquila ela não quis saber e tacou uma receita de leite artificial na minha cara. Aquilo pra mim foi o fim, passar por tudo que eu estava passando e mesmo assim minha filhota não ganhar peso. Sai do consultório aos prantos (ajuda dos hormônios) e decidi procurar ajuda, fui a um banco de leite, mas lá não obtive apoio nenhum, procurei então as Amigas do Peito, que me indicaram um grupo de apoio em SP, o Matrice, nesse meio tempo tb procurei outros pediatras, até encontrar um que me apoiasse, ele disse que era normal algumas crianças não ganharem peso nos primeiros dias, que é uma fase de adaptação Mãe-bebê-amamentação, me encorajou e me deu mais 15 dias de prazo para verificarmos como seria o ganho de peso. Fui a reunião do Matrice e sai de lá encorajada, com a certeza de que estava fazendo a coisa certa em insistir na amamentação e dar o melhor a minha filha. Confesso que cheguei a dar 2 mamadeiras de leite artificial para Isabella, que aceitou uma e vomitou a outra. Passados os quinze dias voltamos ao pediatra e com a graça de Deus ela estava ganhando peso, em 15 dias já tinha ganho 530 gramas e então ficamos mais calmos, dai ela ficou doente, 14 dias internada, mas no hospital os médicos foram super a favor da amamentação e ela seguiu só mamando e para surpresa de todos mesmo dodói ela ganhava peso com gosto. meus seios continuavam na mesma, mas então eu já tinha me acostumado com a dor e nem ligava mais, até pq minha cabeça estava na cura dela e eu sabia que meu leite era muito importante.

Isabella teve alta, saiu completamente curada e com nenhuma sequela da doença (tb com a quantidade de orações que fizemos Deus tinha que nos ouvir)rsrsrsr, e somente ai foi que minhas rachaduras melhoraram e a amamentação passou a ser prazerosa nisso ela já estav com quase 3 meses.

Com 4 meses Isabella começou com birras para mamar, qdo oferecia o peito chorava, virava a cara, levei na pediatra, que nessa altura já havia mudado de novo, e era o refluxo que irritava o esofago e doia para mamar, medicada, voltou a mamar, passado mais uns dias tudo começou de novo, mas agora ela estava medicada e então não havia nenhuma causa aparente para a recusa. Então resolvi seguir o conselho da babá e lavar o seio antes de oferecer e ela voltou a mamar novamente, mas desde então não com a mesma vontade de antes, nisso começamos a introduzir as papinhas e o interesse dela pelo peito só foi diminuindo, eu continuava insistindo e após minha volta ao trabalho ela mamava (peito) de manhã (antes de sair) e a noite (para dormir).

Mas desde semana passada até essas mamadas e no carro que ela nunca recusou ela vinha recusando, chorando e virando a cara, então no domingo cheguei a conclusão de que se ela não é fâ do peito como a maioria das crianças (os filhos das minhas amigas trocam qq coisa pelo peito), não faz questão nenhuma pq eu continuava insistindo numa coisa que estava deixando ela nervosa e irritada, pois eu acabava vencendo ela pelo cansaço. Desisti. Ela, não deu a miníma, mama sua mamadeira feliz da vida, sem choros, sem extress. Eu, chorei, chorei... me bateu um sentimento de culpa, pois sei que parte disso se deve ao fato dela tomar mamadeira, mas o que posso fazer se preciso trabalhar, tirei leite no serviço por dois meses para ela mamar exclusivamente meu leite até os 6 meses, depois complementando até os 7 e agora que a outra pessoa que trabalha comigo saiu de férias não pude tirar mais e ela passou a mamar só de manhã e a noite como já disse. Por um lado dizem que tenho que ficar feliz, pois não precisei passar pelo trabalho de desmamar uma criança (que disseram que é horrível). Agora estou tranquila, pois sei que fiz o melhor que pude e ainda o melhor para nós duas. Acabaram-se os momentos só nossos, de cumplicidade, amor e afeto que transmitia através da amamentação, mas outros muitos viram e tenho certeza que minha filha será saudável e acima de tudo feliz.

Que compensou todo sacrificio e dedicação, não tenho dúvida, recomendo e vale a pena, não tem nada no mundo que pague a satisfação de ver um filho crescendo e desenvolvendo e saber que é vc a responsável.


6 comentários:

Vivi a mamãe do Francisco disse...

Realmente amamentar é um ato de amor, eu tb tive os seios rachados, tive febre, empedrou, mas continuo amamentando meu filho, ele só mama a noite e nos finais de semana. Por enquanto não deu sinais de largar, mas meu leite já diminuiu consideravelmente desde que voltei a trabalhar, isso em novembro.


Beijos

Vivi a mamãe do Francisco disse...

Sobre um tema feminino pra um aninho já pensou em Moranguinho Baby, eu acho muito lindinho. Hello Kitty tão acho fofo...

Mas com certeza Baby Disney é lindo e sempre arrasa...

Podemos trocar ideias né...

Isa e Sara disse...

Oi querida, obrigada pela visitinha...Aproveito pra dizer q. minha xará é linda demais!! Tb me chamo Isabela, só q. diferentemente da sua com um "L" só. E a minha princesa q. está chegando vai chamar Sara!!!!Legal esse seu post sobre amamentar, eu ando c/ muito medo, todo mundo q. eu conheço teve problemas no início...Vamos ver...Mas o mais importante é nossas princesas terem saúde, o resto a gente se vira, né?? Bjokas pra vcs!!

http://meuprimeirofilho.spaces.live.com disse...

Olá, Priscila
que bom, que vc foi persistente...não se sinta culpada, eu tb, me senti, por ter desistido da amamentação, infelizmente, cada uma de nos, sabemos, o limite da nossa dor. Hj, não me culpo...pq, acho que a amamentação, não estava fazendo bem, nem para mim e nem para a Catarina
bjos

Veronica e Lavínia disse...

Eu tb tive muito problemas para amamentar, confesso que pensei em parar. Mas quando lembrava da importância e do laço que se cria com o bebê, segurava o choro e amamentava. Hoje é super tranquilo e faço questão de amamentar o máximo que eu puder também.

Bjs

Danielle disse...

Olá Pri,

amamentar é muito bom, eu adoro e não abro mão.
Vc não tem que se sentir culpada, se dedicou ao máximo, fez o que pode.
bjss