segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

O dia em que me senti a pior mãe do mundo!

As amigas, Júlia, Bárbara e Isabella

Oi amigas,

Hoje venho aqui para contar uma coisa super triste que aconteceu sábado (23/02) de manhã, na sexta eu estava conversando sobre isso com a Naty no MSN, sobre como a Isabella estava ficando espertinha e deixando a preguiça de lado, estava se esforçando para pegar objetos a distância e levantando (ajoelhada) na grade do berço. Pois bem, sábado eu tinha uma série de coisas para resolver relacionadas a casa nova e a mudança, minhã mãe estava indo cuidar dela, que acordou as 6:30 da manhã, tomou a mamadeira, eu tomei café, o André saiu e eu fui me trocar para esperar minha mãe, coloquei ela na minha cama, dei uma caixinha para ela brincar e como não tinha nenhum objeto ao alcance dela, fui até o banheiro colocar a lente de contato, juro que não tinha 1 minuto que eu estava na banheiro só escuto o barulho, desacreditei, eu estava sem óculos e sem lentes, assim não enxergo nada, só vi o vulto da minha filha estatelada no chão, chorando, eu nem sei como peguei ela com uma mão só e corri pro banheiro pegar o óculos para ver se o que tinha machucado, meu Deus eu coloquei o óculos olhei pra ela e vi o hematoma na testa dela, eu desabei, me deu uma sensação de desmaio, minhas pernas amoleceram e sentei na cama, acho que só não desmaiei mesmo pq o subconsciente dizia que eu tinha que acudir minha filha, ai eu comecei gritar, pedia perdão pra ela e ai que ela começou a chorar pra valer, ela estava meio molinha e eu me desesperei, nisso o André ligou e vendo meu desespero, eu mal conseguia falar, ele voltou correndo desesperado pra casa e qdo entrou eu já havia me controlado um pouco e ela já não estava chorando, coloquei compressa gelada na testa e ele pedindo pra gente ir pro hospital, mais calma eu vi que ela estava ficando bem e liguei pra minha mãe que já estava a caminho, ela disse que se ela chorou e bateu a fronte não precisava desesperar e levar no médico, e a essa altura o hematoma que na hora me pareceu um monstro resumia-se a uma mancha vermelha e um pouquinho elevada, então eu havia desistido de ir ao médico e esperar minha mãe. Foi então que ela começou a vomitar muito e meu desespero voltou e saimos correndo com ela pro hospital. Minha mãe só falou não deixa ela dormir, mas meu Deus como foi dificil fazer ela chegar ao hospital acordada ela entra no carro e dorme todas as vezes. Já cheguei na recepção falando que ela tinha caido e preisava passar na frente, o atendente liberou e em 1 minuto já estavamos na sala da pediatra, que examinou e disse que aparentemente não tinha nada mas pediu a avaliação do neurologista que prontamente veio e disse que estava tudo bem que o vomito era natural em casos de pancada na cabeça, que a altura da cama não é grande e que 99% de certeza estava tudo bem, mas que devido meu desespero ia pedir uma tomografia para me tranquilizar, fizemos e graças a Deus que olhou pela minha filhinha não teve nada e após o soninho acordou revigorada e dando suas gargalhadas como sempre, mexendo com as crianças que lá estavam e chamando a atenção pela simpatia.

O Neurologista pediu para observar e caso ela vomitasse ou ficasse muito sonolenta para voltarmos, mas não precisou, ela passou o resto do dia super bem e assim está.

Quanto a mim, aprendiu a lição da pior maneira, mas eu estava acostumada com aquela bebê quietinha e preguiçosa e agora tenho uma bebê em fase de descoberta e disposta a conseguir o que quer. O que ela foi fazer para cair eu juro que não sei, pois o tempo foi muito curto, não tinha nada em cima da cama, ela rola devagar e não engatinha, estica o corpo, mas do meio da cama até cair é uma boa distância..., mas o fato é que agora D. Isabella não fica mais sozinha, só no chiqueirinho. Também perdi minha lente de contato que no desespero foi parar colada na lateral da mesa do computador sendo encontrada pelo marido ontem a noite, seca e esturricada.

O hematoma já quase não se nota e não fosse pela manhinha dela que não deixa nada encostar no local nem se perceberia que ela caiu, clareou bastante mesmo sem passar nada.

Lá no hospital todas as mães contavam sobre as quedas de seus filhos, que é normal e que o dela caiu com 4 meses outra com 6 etc, mas eu não acho normal, sei que fui a culpada em subestimar a inteligência e o desenvolvimento da minha filha e peço a mamães que não façam o mesmo, que que não foi o primeiro e nem será o último, mas que das próximas vezes não seja por negligência minha e sim por peraltice de criança.

Queria aproveitar e deixar aqui meus agradecimentos aos profissionais do Hospital São Camilo - Pompéia, que como sempre foram da mais absoluta competência e carinho. (sei de casos em que os médicos não pedem a tomografia por ser um exame caro e crianças e adultos vem a falecer devido a formação de coágulos que não são detectados em raio-x), se ele não pedisse eu pediria, mas não foi preciso, eles sabem trabalhar.

Beijos e volto ainda essa semana.

E não deixem de votar no tema da festinha tá.


3 comentários:

Dani e e Isabella disse...

Oi,

pôxa fiquei super preocupada agora pq sempre deixo a Isa na minha cama e às vezes dou uma ida rapidinha ao banheiro pra me ajeitar d emanhã. Agora fiquei com medo.
Olha mas criança é assim, cega a gente , temos que ter mt cuidado pq de uma hora pra outra elas fazem coisas que nem imaginamos.
Mas graças a Deus foi só um susto e sua filhota está bem.
bjs

Naty e Mady disse...

Como conversamos, graças a Deus não foi nada e não se sinta culpada, vc sempre dá o seu melhor!!!
Amei a foto, que linda!!
Beijinhos nas duas!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.